Cuidar de Você 03 de Maio de 2018

5 estratégias infalíveis para reduzir o absenteísmo nas empresas


Quantas vezes o funcionário falta um dia de trabalho ou chega atrasado? E como isso impacta no resultado final da organização? Veja quais os mecanismos que podem ser utilizados para diminuir o absenteísmo nas empresas.

Mulher sorrindo apertando a mão de outra em um ambiente corporativo provando que é possível diminuir o absenteísmo nas empresas

O absenteísmo é o número de faltas ou atrasos dos colaboradores. Algumas ausências são esperadas, seja por dificuldades pessoais, seja por questões como problemas no transporte público, por exemplo.

Um dos grandes desafios das empresas e dos gestores de Recursos Humanos é controlar e diminuir o absenteísmo nas empresas. Mas que estratégias podem ajudar nessa difícil missão? Compreender as causas do absenteísmo é o primeiro passo para diminuir o número de faltas frequentes dos funcionários.

Quando o colaborador se ausenta por alguns dias do local de trabalho há um impacto financeiro tanto pelas horas não trabalhadas, quanto pelas horas extras geradas. Além disso, a falta do funcionário pode gerar atrasos nos prazos e acúmulo de atividades dos colegas.

O que faz aumentar o absenteísmo nas empresas?

O absenteísmo é aumentado por diversos fatores. Um deles pode ser o próprio ambiente de trabalho. Funcionários que atuam em locais que não dão liberdade para a pessoa se expressar, com líderes que não inspiram, podem ter a saúde prejudicada. Nestes casos, o trabalho pode até trazer doenças ao funcionário.

Fuja do absenteísmo nas empresas e engaje o seu funcionário

Uma dica para diminuir o absenteísmo é olhar as rotinas de trabalho e menos para as questões trabalhistas. Na prática, é observar o que vincula esse trabalhador à sua tarefa, se ele está adaptado, se tem prazer no que faz e se a tarefa traz recompensa para ele, fazendo sentido.

Na Unimed Fortaleza, por exemplo, é realizado o Fórum de RH com a Gestão. Na ocasião, o tema absenteísmo é discutido junto a todos os gestores, tendo a participação de representantes das seguintes áreas: Recursos Humanos, SESMT, Jurídico e Setor Pessoal.

A prática foi bem rica e saímos com várias ações para desenvolvimento, engajando também os gestores da cooperativa e responsabilizando-os por este acompanhamento e ações”, afirma Cynthia Gomes, coordenadora de Gestão de Pessoas da Unimed Fortaleza.

5 passos para acabar com o absenteísmo nas empresas

1º passo:

Use indicadores para medir o número de absenteísmo. Assim, você terá um controle e uma análise do cenário real, podendo assim estipular metas.

Confira um exemplo de cálculo de indicador de absenteísmo:

(Horas ausentes/Horas planejadas) x 100

Para o cálculo do absenteísmo considera-se todas as ausências até 15 dias: faltas injustificadas, atrasos, licença paternidade, licença de óbito, doação de sangue e atestados de até 15 dias.

Não é considerado para o cálculo: licença maternidade, licença saúde superior a 15 dias, férias, estagiários e terceirizados e compensação de horas.

Veja alguns tipos de absenteísmo:

  • Absenteísmo voluntário: é a ausência do trabalhador por razões particulares, não justificadas por doença, em amparo legal.
  • Absenteísmo por doença: inclui todas as ausências por doença ou procedimento médico e odontológico.
  • Absenteísmo por patologia profissional: compreende as ausências por acidente de trabalho ou doença profissional.
  • Absenteísmo legal: as faltas ao serviço são amparadas na lei.
  • Absenteísmo compulsório: definido como impedimento ao trabalho, ainda que o trabalhador não o deseje, por suspensão imposta pelo patrão, por prisão ou outro impedimento que não lhe permita chegar ao local de trabalho.

2º passo:

Use ferramentas que estimulem o funcionário a não se ausentar ou chegar atrasado. Por exemplo: conceder um vale-folga ou uma cesta básica aos empregados que não se ausentaram do trabalho em um determinado período. É importante sempre consultar o Jurídico da sua empresa, antes de tomar essas ações.

Além disso, estabeleça políticas de reconhecimento. Elas podem ser concretizadas a partir de bonificações, viagens, promoções ou até elogios em público durante uma reunião.

3º passo:

Dê sentido ao trabalho do colaborador. Para engajar o funcionário, é importante que ele se sinta parte do todo e entenda a importância de sua função para o sucesso do negócio. Com isso, há ganhos de produtividade e redução do absenteísmo nas empresas.

4º passo:

Faça o diálogo acontecer. Canais de comunicação diminuem o efeito de ruídos e aproximam os funcionários da estratégia da empresa. Com possibilidade de ser ouvido e estar bem informado, as chances são maiores de um trabalho ser bem executado, trazendo mais segurança para o empregado.

Neste sentido, a Unimed Fortaleza implantou entre os seus colaboradores o programa Embaixadores da Comunicação, em 2016. A iniciativa reúne funcionários das mais diversas áreas que atuam como porta-vozes das notícias e aceleram o fluxo de repasse das informações, fortalecendo, assim, a comunicação interna.

5º passo:

Certifique-se de que o ambiente de trabalho tenha as condições seguras e adequadas para o exercício da atividade profissional. Locais em que há situações iminentes de riscos de acidentes de trabalho elevam a taxa de absenteísmo na empresa.

Conheça 5 doenças relacionadas ao trabalho e como evitá-las

Prevenção é o melhor caminho

A saúde física e mental do funcionário tem impacto direto sobre o índice de absenteísmo. Por isso, é importante criar alternativas para que o empregado seja cuidado constantemente, seja com programas internos que gerem bem-estar, seja por meio de assistência médica de qualidade.

Grandes empresas contam com um médico do trabalho de plantão, mas até as pequenas empresas podem oferecer vantagens ao funcionário, como parcerias com empresas de assistência médica para ações de vacinação e conscientização para obtenção da qualidade de vida.

Banner com duas mulheres sorrindo em ambiente corporativo com o texto "Não possui um bom plano de saúde para seus funcionários?" e o botão abaixo "Fale com um consultor"

Psicóloga Cynthia Jane


Conteúdo produzido em parceria com a psicóloga Cynthia Janne Silva de Souza Gomes

Graduação em Psicologia pela Universidade de Fortaleza (UNIFOR) | Pós-graduação em Gestão de Pessoas pela Fundação Getúlio Vargas (FGV-Management) | Pós-graduação em Gestão Empresarial pela Fundação Getúlio Vargas (FGV-Management) | Coaching pela Sociedade Brasileira de Coaching (SBC) | Experiência em Gestão de Pessoas

Rodapé da página.